terça-feira, 25 de abril de 2017

Jardins à prova de seca

Com a chegada do calor cada vez mais cedo, a rega dos jardins torna-se um verdadeiro desafio. A necessidade de rega torna-se cada vez mais frequente e mais abundante, mas, infelizmente, muitas pessoas não têm tempo para isso. A isso acresce a necessidade de água. Muitas pessoas não têm acesso a água, como um ribeiro ou um poço, o que, a regar com água canalizada, encarece a manutenção do jardim e da horta. Mas há soluções naturais para isso. E, uma vez mais volto a insistir que imitando a Natureza, podemos poupar muito esforço e recursos. No meu jardim recrio um processo natural que existe na Natureza: a acumulação de matéria orgânica sobre os solos. Para além da fantástica conservação da humidade no solo durante períodos de tempo bastante prolongados, ainda permite suprimir o crescimento de ervas daninhas e, depois de decomposta, aumenta a fertilidade do solo. 

Canteiro coberto com relva triturada e palha.

Se o seu solo já estiver seco, regue-o abundantemente. Depois disso, aplique uma grossa camada de matéria orgânica (eu chego a aplicar camadas com um palmo de espessura). Pode usar relva cortada, palha seca, aparas de madeira ou matéria orgânica triturada das podas ou de canas. 

Primeiro, é importante regar bem o solo para que a água penetre em profundidade. 

Depois, é só adicionar a cobertura com a matéria orgânica que tiver à sua disposição.

Com este sistema irá ver as necessidades de rega e de manutenção dos canteiros diminuírem drasticamente. 

Durante o Verão de 2015, em plena seca, repeti este sistema com a plantação de várias flores no final de Agosto, com temperaturas entre os 30 e os 35 graus. As plantas apenas foram regadas aquando da plantação. Depois disso, foi vê-las crescer grandes, floridas e viçosas como num dia fresco de Primavera...sem uma única rega. 



Aqui fica mais um pouco da minha experiência. Espero que vos seja útil e obrigado por continuarem a acompanharem o blogue. 

Sem comentários:

Enviar um comentário